PNUD Brasil adota nova estratégia para impulsionar igualdade de gênero
14/3/2019
No image

A Estratégia de Igualdade de Gênero 2018-2021, a terceira do tipo elaborada pelo PNUD, fornece um roteiro para ampliar e integrar a igualdade de gênero em todos os aspectos do trabalho da organização. Foto: Thiago Siqueira

A igualdade de gênero é um direito humano básico e uma necessidade na busca por um mundo sustentável. Ao lado do empoderamento das mulheres, ela é vital para o alcance da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que prevê o respeito universal pela dignidade e pelos direitos humanos em um mundo onde todas as mulheres e meninas experimentem a igualdade de gênero completa em que todas as barreiras legais, sociais e econômicas sejam removidas.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) está empenhado em fazer desse cenário uma realidade. A Estratégia de Igualdade de Gênero 2018-2021, a terceira do tipo elaborada pela agência da ONU, fornece um roteiro para ampliar e integrar a igualdade de gênero em todos os aspectos do trabalho da Organização a fim de reduzir a pobreza, construir resiliência e alcançar a paz em comunidades e territórios, ajudando a acelerar o desenvolvimento sustentável.

Construído com base nas lições aprendidas por meio da implementação da estratégia anterior (2014-2017), o novo documento reflete descobertas, conclusões e recomendações de uma avaliação independente e externa de planos passados.

Essa estratégia também está sendo adotada no Brasil. No 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a equipe do PNUD no país foi apresentada ao documento, que é pautado nos direitos humanos das mulheres e dos homens, e cujo enfoque é enxergar a igualdade de gênero como um requisito essencial e um acelerador para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A implementação será feita com base em evidências científicas e por meio de parcerias, em colaboração com outros organismos da ONU, sociedade civil e terceiro setor.

De acordo com a oficial de Gênero e Raça do PNUD Brasil, Ismália Afonso, o plano prevê a implementação do Selo de Igualdade de Gênero, um programa de certificação corporativa que reconhece o bom desempenho dos escritórios nacionais do PNUD ao apresentar resultados relacionados ao tema.

“Ao longo dos próximos meses, vamos implantar ações para alcançar os 39 indicadores, distribuídos em sete áreas de performance”, explicou Ismália. Alguns desses indicadores são baseados na paridade de gênero na ocupação de postos no país, medidas de enfrentamento ao assédio sexual e implementação de uma política de equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Para o diretor do Gabinete de Apoio a Políticas e Programas do PNUD, Abdoulaye Mar Dieye, como elemento integrador do alcance dos ODS nas Nações Unidas, o PNUD desempenha papel fundamental para assegurar que a igualdade de gênero seja parte de todos os esforços de desenvolvimento.

“Com nosso amplo mandato de desenvolvimento e especialização, não estamos apenas bem posicionados para integrar o gênero em nosso trabalho, mas temos a responsabilidade de fazê-lo”, declarou. Ainda de acordo com Mar Dieye, em particular, a estratégia exige que sejam criadas oportunidades para que as mulheres contribuam e participem de meios de subsistência sustentáveis, de modo a melhorar os resultados para elas e suas famílias.

Dentro de casa, o PNUD também tem agido para ampliar o espaço de lideranças femininas globalmente. Metade dos recém-recrutados representantes-residentes são mulheres, um marco histórico no PNUD que, para celebrar este Dia Internacional da Mulher, está elaborando perfis de suas líderes sob o lema da campanha “Pense em termos de Igualdade, Desenvolva com Inteligência, Inove para a Mudança”.

Estratégia de Igualdade de Gênero 2018-2021

De modo central, a estratégia delineia o compromisso do PNUD em enfrentar desafios da igualdade de gênero em vez de intervenções voltadas a mulheres como simples beneficiárias; fortalecer a transversalidade de gênero nos programas; harmonizar o posicionamento institucional do PNUD com o tema da igualdade de gênero; adotar estratégias institucionais, como o Selo de Igualdade de Gênero e o Gender Marker, para a promoção da igualdade de gênero.

Selo de Igualdade de Gênero

O Selo de Igualdade de Gênero é uma ferramenta de desenvolvimento e supervisão de capacidade para incentivar a liderança e capacitar os gerentes. O desempenho dos escritórios do PNUD é medido de acordo com um conjunto de padrões mínimos de qualidade.

Ao longo de 18 meses, são analisados 39 indicadores em sete áreas de desempenho: gestão para a igualdade de gênero, capacidades internas, ambiente favorável, gestão do conhecimento e comunicação, programas e projetos, parcerias, e impacto e resultados.

As certificações são divididas em ouro (para quem cumprir pelo menos 80% dos indicadores), prata (pelo menos 70%) e bronze (pelo menos 50%).