UNESCO lembra necessidade de buscar paz em tempos de tensão e ódio
17/5/2019
No image

Pomba branca é símbolo da paz. Foto: Flickr (CC)/Richard Fisher

Em mensagem para o Dia Internacional da Convivência em Paz, 16 de maio, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, disse que, em um mundo no qual testemunhamos tensões, atos de ódio, rejeição aos outros e discriminação, a busca da paz e a vontade de viver juntos com harmonia são mais essenciais do que nunca.

A UNESCO, e as Nações Unidas como um todo, se esforça diuturnamente para fornecer às pessoas os meios para atingir a paz, não apenas porque ela é um dos objetivos mais importantes da Agenda 2030, mas também porque é uma pré-condição para o desenvolvimento sustentável e para o bem comum, lembrou.

“Contudo, a intensidade dos desafios que nós enfrentamos e a rapidez das mudanças que estão perturbando o mundo ameaçam a paz para a qual estamos trabalhando – mudança climática, deslocamentos humanos, desigualdades econômicas crescentes, transformações sociais e revoluções tecnológicas”, disse.

“Essas mudanças somente podem ser tratadas de forma adequada por meio do envolvimento coletivo, e é por isso que, desde 2017, nós temos celebrado, no dia 16 de maio, o Dia Internacional da Convivência em Paz.”

Neste dia, a UNESCO presta homenagem aos esforços realizados pela comunidade internacional para construir a paz, chamando todos os atores sociais para trabalhar nessa direção.

“Um elemento-chave da convivência pacífica é a compressão mútua entre os povos de diferentes culturas”, disse.

A UNESCO, fiel ao seu mandato de construir a paz na mente de homens e mulheres, está comprometida em promover as culturas e a diversidade cultural, com a finalidade de promover intercâmbios e a compreensão entre os povos, uma vez que todas as culturas contribuem para a construção da humanidade como um todo, declarou.

“O estímulo ao diálogo intercultural para reforçar os valores, as instituições e as habilidades para promover a paz é o objetivo da Década Internacional da ONU para a Aproximação das Culturas, liderada pela UNESCO, sendo que múltiplos esforços para construir a compreensão, a conscientização e capacidades são realizados pela Organização e por todo o Sistema das Nações Unidas.”

“O conhecimento, as habilidades e as atitudes receptivas necessárias para a interação pacífica com pessoas de diferentes origens culturais estão rapidamente se tornando competências-chave das quais todos precisamos”, salientou.

Por meio de sua Coalizão Internacional de Cidades Inclusivas e Sustentáveis (ICCAR), a UNESCO defende a solidariedade e a cooperação mundial para o desenvolvimento urbano inclusivo, livre de todas as formas de discriminação.

É por meio do compartilhamento de boas práticas, conhecimento e expertise que as cidades pertencentes à ICCAR aprendem com as iniciativas umas das outras e, posteriormente, desenvolvem suas próprias políticas e seus próprios programas adaptados a seus respectivos contextos locais, nas áreas de educação, habitação, emprego e cultura.

“Este Dia Internacional oferece uma oportunidade para a reflexão conjunta sobre formas e ações específicas para melhorar a convivência, assim como para promover um desenvolvimento que seja inclusivo, pacífico e sustentável em todos os âmbitos, para que a humanidade seja capaz de viver em paz como um todo.”

“Como disse Martin Luther King: ‘Se quisermos ter paz na Terra, […] nossas lealdades devem transcender nossa raça, nossa tribo, nossa classe e nossa nação; e isso significa que nós devemos desenvolver uma perspectiva mundial’. Esteja certo de que a UNESCO está plenamente empenhada nessa missão”, concluiu a diretora-geral.