“Liberdade de circulação das Forças de Paz da ONU no Líbano deve ser assegurada”
7/7/2010

No image
Manifestando preocupação com os recentes incidentes envolvendo protestos da população local do Líbano contra integrantes da Força Provisória das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), o coordenador especial da Força, Michael Williams, disse na última sexta-feira (2) que a liberdade de circulação da Forças para servir no sul do país deve ser respeitada. Na semana passada, moradores protestaram contra a UNIFIL durante um exercício realizado pela Missão, encarregada de monitorar o cessar-fogo entre Israel e o grupo islâmico Hizbollah.

A UNIFIL realiza essas operações regularmente para garantir a disponibilidade de suas tropas no terreno. A ONU transmitiu em nota que é tomado todo o cuidado para minimizar o distúrbio ou a inconveniência à população local ao longo do processo e que as Forças Armadas do Líbano (LAF, em inglês) estão inteiramente cientes da natureza e do propósito da atividade.

“A liberdade de movimentação da UNIFIL foi violada e os países que contribuem com tropas para as Forças de Paz da ONU estão muito preocupados”, disse Williams em comunicado após sua reunião com o porta-voz do parlamento libanês, Nabih Berri. Ele disse ainda que se deve insistir para que a liberdade de circulação da Missão seja inteiramente respeitada e que o exercício na região foi levado como parte normal de suas operações e com todo respeito ao mandato. Segundo o coordenador da UNIFIL, as Forças Armadas do Líbano ajudaram a diminuir as tensões locais.

Williams afirmou que ele e Berri acordaram sobre a necessidade de se trabalhar duro para prevenir qualquer nova ocorrência desse problema e que todas as partes envolvidas nos conflitos têm de ser esforçar para diluir as tensões. Eles aproveitaram para debater a implementação da resolução 1701 do Conselho de Segurança, que findou o conflito entre Israel e Hizbollah, em 2006, e pede o respeito da “Linha Azul”, delimitação que separa os dois países, o desarmamento das milícias em operação no Líbano e o fim do contrabando de armas na região.

Além disso, o coordenador da UNIFIL observou que a presença e a implementação da Missão no sul do país junto ao seu trabalho e coordenação com a LAF forneceram a base para a implementação da resolução 1701, ao servir aos interesses nacionais e ao trazer estabilidade para toda a região. O porta-voz oficial da ONU, Farhan Haq, disse a jornalistas na semana passada que a UNIFIL está fazendo grande esforço para dialogar com as comunidades e explicar a eles a natureza e o propósito da atividade a fim de esclarer quaisquer dúvidas.