“Retrato Escravo” será lançado no TST
8/9/2010

Das péssimas condições de trabalho análogo ao escravo, passando pela solidão das famílias que ficam sem seus pais que vão para longe em busca de emprego, até o momento do resgate desses trabalhadores. Imagens que mostram esse ciclo da escravidão contemporânea no Brasil compõem o livro “Retrato Escravo”, que será lançado dia 9 de setembro, no prédio do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Elaborado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Fundação Vale, o livro tem fotos de João Roberto Ripper e Sérgio Carvalho. Ambos já trabalhavam com o tema quando foram convidados pela OIT, há três anos, para participar do livro. O piauiense Sérgio Carvalho começou a fotografar em meados da década de 1990, registrando trabalhadores escravizados em fazendas do norte do país. “Acredito que a fotografia, como qualquer forma de expressão, pode e deve servir como instrumento de politização, de questionamentos, de mudança social e de denúncia”, diz Sérgio.

O carioca Ripper fotografa há mais de 30 anos e acompanhou denúncias da Comissão Pastoral da Terra sobre trabalho escravo em todo país antes de começar a seguir o grupo móvel de fiscalização do Ministério do Trabalho. “Acredito que a imagem ajuda a inverter uma condição que é inaceitável e que é preciso se ver para poder mudar. E é muito bom ver as pessoas sendo libertadas”, conta Ripper.

As fotografias foram feitas no Pará, em Campos (RJ), Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Ceará. Elas são acompanhadas por textos de pessoas envolvidas com o combate ao trabalho escravo, como Leonardo Sakamato, da ONG Repórter Brasil, e Laís Abramo, diretora da OIT no Brasil. O livro será distribuído amplamente para entidades envolvidas, como autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, estudantes, jornalistas. “Nosso objetivo ao promover esse trabalho foi criar mais uma ferramenta de mobilização da sociedade. Hoje o Brasil está bastante avançado nos mecanismos de combate ao trabalho escravo, mas estamos longe de erradicar o problema”, explica o coordenador do projeto de combate ao trabalho escravo na OIT, Luiz Machado.

Na noite de lançamento, no TST, Ripper e Carvalho vão autografar os livros. As fotos também estarão expostas no prédio. A exposição poderá ser visitada até o dia 15 de outubro e a ideia é que ela percorra outros prédios da capital, como o Ministério do Trabalho, e todo o país.


Clique na imagem para ampliá-la

Serviço

Lançamento do livro ‘Retrato Escravo’
Data: 9 de setembro de 2010
Horário: 19h30m
Local: Edifício Sede do Tribunal Superior do Trabalho
Exposição: 13 de setembro a 15 de outubro, no mezanino do TST
Brasília, 30 de setembro de 2010

Mais informações sobre a OIT no Brasil: www.oit.org.br